Atuação

Conheça abaixo as disciplinas do Direito que constituem as áreas de atuação da Mori & Marcon.

Direito administrativo

Cuidando da área que regula a atuação do Estado, entendida por meio das faces da Administração Pública, o ramo se volta ao estudo minucioso do complexo de relações que podem ser desenvolvidas entre Administração e Sociedade Civil, seja no âmbito das relações contratuais, seja no âmbito do exercício das atividades próprias à Administração e, principalmente, à salvaguarda dos direitos de cada cidadão.

Direito Civil

Tratando-se de uma especialidade essencialmente voltada ao dano, sua minoração, avaliação e restruturação patrimonial, a Mori & Marcon oferece soluções que se estendem desde a atuação voltada à diminuição de perdas e rápida composição ou recomposição patrimonial até a análise de riscos e avaliação de danos em situações de dano já consumado, bem como a responsabilidade de cada agente, estendendo-se desde a consultoria até a atuação nos mais variados juízos cíveis e consumeristas.

Direito Empresarial

Área voltada ao dia-a-dia de empresas de grande, médio e pequeno portes, bem como suas relações com terceiros, sejam outras empresas ou o Estado, por meio de sua atuação regulatória, fiscalizatória e afins.

A Mori & Marcon oferece serviços que se estendem desde a constituição empresarial, tratamento diário com outras empresas e respectivos contratos até o encerramento das atividades empresariais, bem como a atuação contenciosa nos mais variados juízos ou procedimentos de resolução alternativa, tais quais arbitragem, mediação e conciliação.

Direito Tributário

Ramo do Direito Financeiro, cuida das relações entre o Estado, por meio de sua face arrecadadora – o Fisco – e os particulares, compreendidos como os contribuintes, pessoas físicas e jurídicas.

Cuida, essencialmente, de regular o modo pelo qual as relações tributárias – que sujeitam o contribuinte a uma variada gama de obrigações, que vão desde declarações até pagamentos – serão regidas, a fim de resguardar o direito e, inexoravelmente, o patrimônio dos contribuintes, dada a importância que cada parte exerce na relação com o interesse público.